13.1.09

conformista? acomodada? hum... adaptavel.

vou te falar que acho que esta viagem ao brasil nao me fez bem... ou sera que fez tao bem que agora estou mal? eh, acho que eh isso... ja estava me 'REadaptando' a vida brasileira. ja sentia frio nas brisinhas suaves, soh tomava cafe feito na hora, soh queria a comida da mamis. apenas 20 dias e eu estava readaptada. sera?

pensar nisso me fez lembrar de uma historia. eu e minhas historias...

um dia eu falei para o meu pai que nao gostava de fazer algo( nao lembro o que, mas na verdade na epoca era dificil encontrar algo que eu gostava...) e ele me respondeu algo mais ou menos assim: "o ser humano se adapta a qualquer situacao." nao lembro da minha reacao na hora, mas devo ter fechado os olhos, levantado a sobrancelha, franzido a testa e nao ter acreditado muito.

dai que anos e anos se passaram e eu fui vendo que aquilo era verdade mesmo. nos podemos nos adaptar a tudo: comida, lugar, pessoas, musica, clima, tudo.

olho para tras e vejo que sou um ser humano totalmente adaptavel(e quem nao eh?).

por exemplo, quando era pequena minha mae perguntou se eu gostaria de fazer uma prova para testar meus conhecimentos em uma escola. se eu passasse, teria livre arbritrio para escolher se estudaria ali ou nao.

a escola chamava termomecanica e era destinada(ate entao) somente para meninos que(possivelmente)tornariam- se engenheiros em um futuro proximo.

ta, eu passei no teste. nao contente, a escola ainda tinha outra 'peneira': um sorteio pela loteria federal. eu, que tinha sorte aos baldes, fui sorteada e a minha mae perguntou, quase que com a resposta na ponta da ligua: " voce vai entrar na escola, neh???"

depois desta eu nem tinha escolha e entrei. a minha classe era toda de meninas, 31 para ser exata. eu era tao chata, mas tao chata que achava que nenhuma das 30 serviriam para ser minha amiga. eu tambem nao gostava de nada: da sopa de 'dentes', do tanjal, de trotar em volta da escola, entre tantas outras coisas.

dai que mesmo que com tudo isso PLUS os comprimidos mergulhados nas gelatinas verdes que eram servidas em potinhos de ferros enferrujados, mesmo com os dias em que eu era orientadora e tinha que enfiar a mao em um tanque com agua quente e restos de comidas para lavar as bandejas, mesmo com as aulas 'inuteis' de oficina, natacao, agricultura, ceramica, escultura, aeromodelismo... (ate hoje nao entendo o por que de aprender isso), aprendi a gostar(e muito!) do ensino, das pessoas, da escola e dos professores. nao demorou muito e eu me adaptei muito bem, obrigada.

mais do que isso: eu estudava de segunda a sabado e no domingo voltava la, para ficar na casa da minha amiga que morava na escola. caminhavamos, nadavamos, andavamos de bicicleta... ficava mais na escola do que na minha propria casa.

no dia da formatura chorei tanto e pensei: "esta escola me fez conhecer muitas pessoas que ficarao guardadas para sempre, me fez aprender coisas que nunca serao esquecidas... como foi bom fazer um esforco e me adaptar." alias, esta eh outra coisa que os pais sempre alertam: "... nada na vida eh conquistado sem esforco". e eh outra verdade.

dai que o tempo foi passando e nao parei de fazer cursos e mais cursos: corte & costura, desenho, faculdade de moda, faculdade de jornalismo(...)vim para ca, fiz curso de pronuncia e de escrita. fui para londres e fiz curso de jornalismo de moda.

em cada curso que passei tive uma dificuldade diferente, conheci pessoas que nao faziam parte do meu mundo, outras que ficaram ate hoje e, gostando ou nao, me adaptei a cada curso, pessoa e situacao.

o mesmo aconteceu com trabalho: me adaptei com pessoas de todas as indoles, horarios malucos e muito stress. a gente se adapta, eh soh querer.

no brasil eu me adaptei ao sol forte. nunca gostei, mas nao tinha outro jeito. aqui, me adaptei a neve, tambem nao tem outro jeito.

no brasil estava tao adaptada em ser 'carona' e andar de onibus que eu nunca tinha pego em um carro( com CINCO anos de carta). eh, eu tinha me adaptado( ou era inutil, como minha mae dizia). cheguei aqui, tive que me adaptar com a direcao e, pior do que isso, em dirigir uma barca.

ai no brasil eu comia no shopping, quase nunca fast- food, nunca fui muito fa. procurava sempre uma comidinha pelo menos parecida com a da mamis. aqui, eu como qualquer coisa que estiver escrito no gps, que estiver pelo caminho ou que tiver drive- thru, para ser mais rapido.

ai eu vivia cheia de amigos. aqui, ja nao posso dizer o mesmo. as vezes 'me pego' indo ao mercado, farmacia, show, tudo sozinha. mas ate que eh bom, me adaptei.

a vida eh assim, a gente vai se adaptando...

tem outra forma?

4 comentários:

lan disse...

concordo plenamente com vc!!! E sempre te falo isso tb! E outra coisa... E sempre bom pegar a oportunidade e aproveitar até o fim .. Sei quer vc e inteligente e sempre apostei no seu futuro brilhante.. Acertei na mosca pois vc se tornou muito mais madura ... Tente sempre achar o lado bom das coisas e se no fundinho estiver ruim transforme a situação em algo engradado!adoro seu humor com algo trágico kkkk i.e. Seu carro barco!!!! Lol
Te amo picurrucha
Lan

Carol disse...

Amore, seu pai está certissímo. nós sempre nos adapatamos as circunstâncias. Sua história é bonita, e ela mal começou a ser escrita. O importante q msm sabendo se vc queria ou não vc tentava, se dava certo vc vai átras se não vc cont. caminhando. Tem q ser assim. Por isso, q eu te amo!
Ps: participei de mtas etapas, q vc descreveu.
=)

Anônimo disse...

Pois é...temos sempre q nos adaptar com algo, quem diria q eu fosse morar no interiorrrrrr, me adaptei, n curto muito, mas encaro td isso com desafio, e acho q vc deveria encarar da mesma forma.
E o sucesso só vem antes do trabalho no dicionario...viu..então n desista.
bjo

kleber

maicher disse...

I will pass on your article introduced to my other friends, because really good!
wholesale jewelry